Animais abandonados em Bauru aguardam adoção e ONGs precisam de ajuda

Trinta e cinco animais foram doados no mês de abril no Centro de Controle de Zoonoses. Confira como adotar, ajudar e cuidar dos animais


Muita fofura animal esperando por um dono (Foto: Priscila Medeiros/Prefeitura Municipal de Bauru)

Os lares brasileiros contam com uma grande população de animais de estimação. Até 2013, foram contabilizados 52 milhões de cachorros e 22 milhões de gatos com donos, segundo dados da Pesquisa Nacional de Saúde do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os cães estão presentes em 44,3% dos lares brasileiros e os gatos em 17,7%. O número de cães nas casas superou inclusive o número de crianças brasileiras com até 14 anos, que era de quase 45 milhões também em 2013.

Entretanto, a pesquisa não contabiliza os animais soltos pela cidade. Os animais das casas muita vezes saem dessa estatística principal e viram bichos de rua, após serem abandonados, maltratados ou terem sua reprodução e saúde descuidadas.

Leia também: Aumenta o abandono de animais em Bauru, quais são as políticas de controle aplicadas?

Tendo em vista o descaso de quem rejeita estes animais, muitas cidades contam com instituições governamentais e ONG´s para abrigá-los enquanto aguardam uma nova família. Esse é o caso de Bauru, que além do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), de responsabilidade da Prefeitura Municipal de Bauru, possui alguns projetos sem fins lucrativos, como o Naturae Vitae.

Bauru conta com diferentes locais para adoção (Foto: Priscila Medeiros/Prefeitura Municipal de Bauru)

O CCZ, atualmente, tem em suas dependências 60 animais. O órgão informou que no mês de abril foram doados 16 cachorros e 19 gatos, mas ressalta que os números de doações e da "população" no CCZ costumam mudar a cada mês: “Temos que observar que há uma variação de um mês para outro, já que são liberados apenas os animais que estão totalmente aptos, ou seja, que estão saudáveis, vermifugados, vacinados e se possível castrados”, explica Francisco Pereira, chefe de seção do CCZ.

Algumas ONG´s de Bauru também veem em seus trabalhos a oportunidade de retirar os bichos da rua, oferecendo-lhes alimento, cuidado e acima de tudo amor. Uma delas é a Naturae Vitae. Fátima Schroeder, bióloga e presidente da ONG, conta como é o processo de adoção e suas fases: “Primeiramente é feita uma rigorosa triagem dos interessados, se possível, com uma visita antecipada à casa da pessoa. Uma vez escolhido o adotante, é preenchido o Termo de Adoção e Responsabilidade.”

Cuidados necessários antes da adoção


Tanto o CCZ quanto a Naturae Vitae ressaltam que adotar um bichinho requer tempo e espaço, além do dinheiro para suprir as necessidades voltadas para a alimentação,higienização e vacinação. 

A aceitação de todos os membros da família com a vinda de um animal para casa e as características comportamentais dele também devem ser levados em conta na hora da adoção.

(Box: Adriele Silva/Impacto Ambiental)

Como ajudar e adotar


Os interessados em fazer doações para a ONG Naturae Vitae podem acessar o site www.naturaevitae.org ou ligar para o número (14) 98122-7378.

No Centro de Controle de Zoonoses a doação é feita no prédio da instituição ou em clínicas veterinárias credenciadas, por meio da apresentação do RG, CPF e comprovante de residência. Maiores esclarecimentos podem ser feitos por meio do telefone (14) 3103-8057.


Comente com o Facebook: