Cowspiracy: quem é culpado pelo aquecimento global?

Confira a resenha do documentário "Cowspiracy: O Segredo da Sustentabilidade"

"O filme ambiental que as organizações ambientais não querem que você veja" (Foto: Divulgação/Cowspiracy)

Ouvimos muito sobre a importância de se economizar água e de se poluir menos por meio de medidas práticas no dia-a-dia, como, por exemplo, tomar banhos mais rápidos, fechar bem as torneiras, reciclar produtos, trocar o uso do carro pela bicicleta ou meio de transporte coletivo. Muito se fala em como a ação cotidiana do homem prejudica o meio ambiente. Mas será mesmo que somente os desperdícios diários causam problemas?

O nosso consumismo diário e o uso descontrolado de combustíveis fósseis são agentes da destruição do planeta juntamente a um grande responsável: o agronegócio. A criação de animais em massa é causadora de várias mudanças no meio ambiente: é responsável por 30% do consumo de água do mundo, ocupa 45% do espaço na Terra, causou 91% da destruição na Amazônia, extinguiu espécies e habitats

Mas todas essas informações são pouquíssimo divulgadas, e as grandes ONGs e grupos ambientalistas muitas vezes se calam diante da situação. Mas qual o motivo dessa omissão?

Foto: João Pedro Ferreira/Impacto Ambiental
O consumo excessivo de carne e a forma que o gado é criado pode aumentar ainda mais os problemas ambientais existentes (Foto: João Pedro Ferreira)

É partindo desse principio que Kip Andersen e Keegan Kuhn produziram o documentário “Cowspiracy: o segredo da sustentabilidade”, que conta com depoimentos de Will Potter, autor de "Green is the new Red", Michael Pollan, jornalista e autor de "O dilema do onívoro", Richard Oppenlander, autor de "Food Choice and Sustainability". A produção executiva do documentário é do ator Leonardo Dicaprio.

O longa-metragem se inicia com o diretor Kip Andersen contando sobre o seu engajamento com a causa ambiental após assistir ao documentário “Uma Verdade Inconivente”, de Al Gore. Depois de se adaptar a mudanças sustentáveis no seu cotidiano, o diretor passou a se perguntar se eram apenas essas alternativas que mudariam salvariam o planeta

Após várias pesquisas, Andersen pôde perceber que o principal precursor da maior parte do impacto sofrido pelo planeta era a criação em massa de animais, como o gado. “Os meios de transporte recebem grande atenção pelo terrível impacto do dióxido de carbono no planeta, porém a criação de animais produz 65% de óxido nitroso do mundo, gás com um potencial de aquecimento 296 vezes maior que o CO2. As emissões de CO2 relacionados a energia aumentarão 20% até 2040, mas as emissões da agricultura aumentarãoo 80% ate 2050”, diz o diretor.

Iniciativas como a "Segunda sem carne" podem ser o pontapé para diminuir aos poucos seu consumo de carne (Foto: m_takahashi/Flickr)


O filme traz informações impressionantes que não são divulgadas devido ao interesse financeiro por trás das grandes ONGs e ao intenso retorno de capital que a agropecuária proporciona às empresas e aos governos. 

Uma vaca come cerca de 68 quilos de ração e bebe 115 litros de água por dia. Um litro de leite "leva" em sua produção 1000 litros de água. 500 gramas de carne são produzidas após o uso de mais de 9 mil litros de água.  Com ovos, são mais de 1800 litros. Já o queijo, "tem" quase 3500 litros de água. 

Os animais criados para fins alimentares consomem 50% do alimento do planeta, enquanto há uma boa parte da população passando fome. Os questionamentos levantados no filme são de extrema importância. O filme leva a uma intensa reflexão sobre os riscos que a nossa alimentação causa ao meio ambiente.

- Se interessou? Assista agora ao documentário, disponível na Netflix.

FICHA TÉCNICA:
Título Original: Cowspiracy - The Sustainbilty Secret
Ano: 2014
Duração: 1h30
Direção: Kip Anderson e Keegan Kuhn
Classificação etária: 10 anos


Comente com o Facebook: