Veganismo: por um mundo mais verde

Você sabe a diferença entre Veganismo e Vegetarianismo? Confira!


Foto: Mirna Encinas

Entram em cena o veganismo e o vegetarianismo, que prometem pensar no meio ambiente e nas vidas animais de um modo diferente. Por mais que tenham o mesmo objetivo, divergem nos motivos e enfoques dados por parte dos adeptos. As duas ideologias se interligam no fato de serem totalmente contrárias à ingestão de carnes, entretanto, trazem benefícios em diferentes graus ao mundo.

Veganismo x Vegetarianismo


Ser vegano é fazer parte de um estilo de vida sustentável que busca eliminar quaisquer tipos de produtos provindos de animais, além de ir frontalmente contra todo tipo de exploração animal e boicotar produtos testados em bichos. Tornar-se vegetariano trata-se de adotar um regime alimentar que exclui as carnes de animais da dieta, com ou sem consumo de laticínios ou ovos.

A ideologia vegetariana é adotada por inúmeras razões, tais como a questão ética, a saúde e a religião. Enquanto a ideologia vegana tem como primeiro foco a questão ética, utilizando do ativismo para lutar pela libertação e não exploração dos animais.

Os vegetais orgânicos são a melhor opção para uma dieta saudável e sustentável (Foto: Érika Turci)

Muito mais do que números


Segundo especialistas ambientais do Banco Mundial, criar animais para consumo – ação que produz 65% do óxido nitroso do mundo – foi responsável por 51% da mudança climática causada pelo homem.

Do consumo de água do mundo, 30% é em função da “fábrica de animais”. Além disso, a indústria animal ocupa até 45% das terras do planeta, é responsável por 91% de destruição da Amazônia brasileira, é uma das principais causas de zonas mortas no oceano e de destruição de habitat e de espécies.


A dieta vegana economiza diariamente mais de 4 mil litros de água, 20 quilos de grãos, 3 m² de áreas florestais, o equivalente a 4,5 quilos de CO2 e a vida de um animal, conforme dados coletados do documentário Cowspiracy

Caso a humanidade adotasse uma dieta livre de qualquer produto de origem animal, mais de 8 milhões de vidas seriam poupadas e a emissão de gases poluentes se reduziria em dois terços até 2050, de acordo com a projeção feita por pesquisadores da Universidade de Oxford.

Vegano por natureza


Altair Almeida, vegano desde criança – sua mãe deixou de consumir produtos de origem animal quando presenciou uma galinha ser morta – diz que sempre protegeu os animais e que, através do movimento, se encontrou como ser humano.

Altair é vegano desde criança, quando sua mãe deixou de comer carne após ver uma galinha sendo morta
(Foto: arquivo pessoal)

Hoje em dia, Altair acredita que a resposta para um planeta mais sustentável é a mudança rápida. Em relação a dieta vegana, o ativista diz: “é perfeitamente saudável e mil vezes melhor que a dieta onívora, baseada na exploração dos seres”.

O veganismo, muito além de proteger os animais das crueldades realizadas pelo homem, é a saída simultânea para poupar o ser humano de efetivar sua autodestruição. É um estilo de vida que nega cooperar com uma indústria impiedosa e que estimula o consumismo.


É saudável?


“A dieta vegana, desde que suplementada com nutrientes deficientes após dois anos iniciados este novo estilo de vida e, claro, com acompanhamento de nutricionistas ou médicos, é um modo de vida saudável, sim.” afirma Keli Daiane Bortholazzi, nutricionista especializada em nutrição clínica e esportiva há 11 anos.

A nutricionista afirma que o veganismo pode ser adotado por qualquer indivíduo, devido a todos os aminoácidos essenciais serem encontrados em abundância no reino vegetal, além da combinação de alimentos garantir o fornecimento de proteínas completas.

Foto: Isabella Holouka

Me interessei, e agora?


A filosofia vegana coloca a compaixão como princípio, sendo assim, todos os seres vivos são dignos de respeito e liberdade. Aos novatos no assunto, documentários sobre o tema auxiliam para terem um entendimento maior antes de decidirem alterar os hábitos de vida.

Dentre os documentários mais importantes sobre direitos animais na atualidade estão:
  • Cowspiracy – traz o assunto da degradação ambiental aliada ao acobertamento por parte das entidades políticas (Disponível na netflix);
  • Earthlings – demonstra a crueldade do sistema que perdura às custas da exploração animal (Disponível no youtube);
  • Blackfish – denuncia o tratamento dado às baleias-assassinas e mostra o descomprometimento dos grandes parques aquáticos em informar sobre a questão (Disponível na netflix).

Leia a resenha do documentário Cowspiracy aqui!


Além disso, existem grupos em redes sociais que buscam incentivar a vida vegana, como: “Veganos – a revolução começou” e “Vegetarianos e Veganos Sim – Brasil”.

Em relação a seguir uma dieta vegana, os livros “Vegano? Por que não?” e “A nova culinária vegana” oferecem receitas práticas que substituem os produtos de origem animal sem que causem danos à saúde.

Agora, se não consegue aderir à dieta, opte por diminuir o consumo de carne e de produtos de origem animal e procure conhecer os fornecedores desses alimentos e seu modo de produção.


Comente com o Facebook: