Por que não passa ônibus na Avenida Getúlio Vargas?

Uma das mais nobres avenidas de Bauru não conta com transporte público: qual é a razão?

Avenida Getúlio Vargas: muitos carros, nenhum ônibus (Foto: Rafael de Toledo)
A Avenida Getúlio Vargas, localizada na Zona Sul da cidade de Bauru (SP), é uma área nobre popularmente conhecida por seus restaurantes, bares e locais de lazer.

Mesmo sendo uma das avenidas mais importantes do município e com grande concentração de comércio, não há pontos de ônibus circular em quase toda sua extensão. A única exceção fica por conta da quadra número 23, local em que os ônibus saem da Avenida Nossa Senhora de Fátima em direção aos condomínios Villagio, já próximo ao acesso da Rodovia Marechal Rondon.

Isso faz com que as pessoas dependentes do transporte público que trabalham naquela região procurem por linhas alternativas e pouco convenientes para chegarem aos seus trabalhos.

A Avenida Getúlio Vargas conta com um grande fluxo diário de carros e pedestres (Foto: Rafael de Toledo)
Vinicius Rios Gianezi trabalha na área de informática em uma empresa da Getúlio e teve problemas com a falta de linhas de ônibus que atendem o trecho específico. Ele conta que a falta de um ponto na rua dificulta sua locomoção. “As opções disponíveis me obrigavam a descer em pontos a 4 quadras de distância da Getúlio, e algumas ruas de acesso para a mesma são subidas muito acentuadas. Algumas linhas, como Jd. Ouro Verde/ Jd. América possuem poucos veículos disponíveis”, diz Vinicius.

Gianezi também fala que todo esse percurso exaustivo o impulsionou a comprar um carro: “Desde que comecei a trabalhar, poupei dinheiro para comprar meu primeiro carro, e o que mais me motivava para isso é o péssimo serviço de ônibus existente em Bauru, que oferece poucas opções de horário, veículos mal conservados, superlotação de passageiros nos horários de pico e um valor abusivo de passagem que contrasta com a precariedade do serviço.”

Saiba mais: A melhoria do transporte público é essencial para uma cidade sustentável

Pegar um ônibus para chegar à região aumentava o tempo que Vinícius gastava para ir ao trabalho: “Eu precisava enfrentar diariamente longas caminhadas entre minha casa, pontos de ônibus e meu local de trabalho - 11 quadras de caminhada no total utilizando a linha Jd. América. Agora, ao utilizar uma das outras duas opções, eu precisava ir de ônibus até o Centro para então pegar o Jd. Europa ou Samambaia – no total, 7 quadras de caminhada." 

Ainda segundo ele, sai mais barato ir de carro ao trabalho do que ir de ônibus e pagar uma "tarifa abusiva", pois agora desfruta da "praticidade e do conforto sem comparação".

Emdurb diz que há barreiras para alteração de itinerários

Ônibus devem continuar passando apenas por ruas paralelas, segundo a EMDURB (Foto: Rafael de Toledo)

A Empresa Municipal de Desenvolvimento Urbano e Rural de Bauru (EMDURB), por meio de sua assessoria de imprensa, justifica o problema por conta da barreira que o Aeroclube constitui, que reduz a abrangência dos pontos, afirmando que “o transporte coletivo tem maior eficiência quando ambos os lados da rua tem acesso aos pontos de forma fácil, o que não acontece com a Avenida por conta do Aeroclube”.

Outro entrave citado como motivo é o alto volume veicular que a via apresenta nos horários de pico, o que diminui a velocidade operacional do Sistema.

A EMDURB diz que não realizou nenhuma pesquisa de público para averiguar uma possível demanda e que também não há planos para alteração no momento.

A empresa ainda informa que as seguintes ruas próximas à Avenida Getúlio Vargas possuem pontos de ônibus e podem ser opções para a população chegar ou sair da região no transporte coletivo: 

- Avenida Nossa Senhora de Fátima.
- Rua Dr Fuas de Mattos Sabino.
- Rua Moyses da Silva Leme.

Horários podem ser consultados pelo site http://transurbbauru.com.br/. A tarifa paga em dinheiro custa R$3,75. Carregando o cartão cadastrado comum, a tarifa custa R$3,50, com direito a uma integração entre linhas diferentes.


Comente com o Facebook: