Conhecer para preservar: bem-vindos ao Jardim Botânico

As espécies de flores presentes no Jardim Botânico de Bauru


(Foto: Giovana Moraes/Impacto Ambiental)

Numa área de 321 hectares, o Jardim Botânico de Bauru recebe centenas de visitantes, que vão passear sem agendamento prévio, e grupos escolares guiados pelos funcionários do jardim, que passam momentos de lazer e aprendizagem sobre conservação da natureza.

Distribuídas pelo terreno há samambaias, plantas medicinais, orquídeas, plantas aquáticas, arboretos, bromélias, bambus, árvores de grande porte e trepadeiras. Esse admirável cenário é mantido pela prefeitura em associação com empresas privadas. Com objetivo de preservação da flora, promove atividades voltadas à conservação, pesquisa científica e educação ambiental. 

Lago de Vitória-régia do Jardim Botânico de Bauru
(Foto: Giovana Moraes/Impacto Ambiental)

A bióloga responsável pela curadoria do herbário e das coleções vegetais, Viviane Camila de Oliveira, expõe a importância do Jardim Botânico. Segundo a bióloga, ele é fundamental na preservação de espécies. O Jardim Botânico de Bauru prioriza as plantas da região e, portanto, auxilia na “preservação direta” através da educação ambiental do público visitante.

A gente sempre parte do pressuposto de conhecer para preservar. O jardim tem o papel de fazer a manutenção das coleções vegetais e ter as espécies aqui para preservar em situ.

Jardim Botânico de Bauru
(Foto: Giovana Moraes/Impacto Ambiental)

Viviane explica como funciona o sistema de organização das espécies encontradas no Jardim. "Na catalogação, cada planta da coleção viva recebe uma placa com uma numeração e ligado a isso estarão as informações da planta no banco de dados, quando ela chegou, quando foi envasada, quem coletou, que espécie é, qual a manutenção que requer, adubação e poda.”

Além disso, o Jardim conta com a parte de pesquisas. De acordo com Viviane, há recentemente um artigo publicado por eles, sobre o monitoramento de bromélias da coleção. “Pesquisamos se elas podem servir de criadoura do Aedes Aegypti”.

Locais indispensáveis no Jardim Botânico


Jardim Botânico de Bauru
No Jardim Sensorial há chás, cactos, temperos e ervas medicinais (Foto: Giovana Moraes/Impacto Ambiental)

O tranquilo Jardim Sensorial foi construído para ser explorado pelos cinco sentidos:  tato, olfato, visão, paladar e audição. A distribuição das plantas e a altura que se encontram foram pensadas para que todas as pessoas, inclusive com necessidades especiais, possam aproveitar o local.

Nesse jardim encontram-se plantas medicinais, ervas aromáticas e temperos, como a babosa e o manjericão. Os cheiros, as texturas e as cores de cada canteiro proporcionam sensações diferentes aos visitantes, que também aprendem, por meio de placas informativas, as funções de cada espécie do Jardim Sensorial.

Jardim Botânico de Bauru
 A Praça Central, projetada em formato de estrela, é arborizada com palmeiras jerivás, cicas e acumãs (Foto: Giovana Moraes/Impacto Ambiental)

A coleção de plantas aquáticas do Jardim Botânico de Bauru foi fundada em 2012 e é uma das principais atrações. Os visitantes têm a oportunidade de conhecer as vitórias-régias, tirar belas fotos e relaxar perto do lago.

Das três grandes estufas do jardim, a primeira é repleta de samambaias, avencas, rendas-portuguesas e chifres-de-veado, que são as representantes mais conhecidas das Pteridófitas.


Samambaias do Jardim Botânico de Bauru
As estufas são construídas para manter as espécies protegidas, com luminosidade, temperatura e umidade adequada. (Foto: Giovana Moraes/Impacto Ambiental)

As pteridófitas foram as primeiras plantas que desenvolveram vasos condutores de  água e nutrientes. Seguindo a linha evolutiva, antes das pteridófitas vieram as briófitas, e após vieram as gimnospermas e angiospermas. Para compreender as particularidades de cada uma dessas divisões, clique aqui.

A segunda estufa guarda espécies de orquídeas. O ambiente cheio de flores exuberantes encanta os visitantes, que saem do passeio com informações sobre as características evolutivas da planta, quais espécies estão ameaçadas no estado de São Paulo, a organização básica e funções de sua estrutura física. Todas essas instruções estão distribuídas em painéis.

Orquídeas Cattleya
Orquídeas Cattleya, com grandes flores em tons de cor-de-rosa essa é uma das espécies da estufa. (Foto: Giovana Moraes/Impacto Ambiental)

As 25 espécies de bromélias estão concentradas na última estufa. Lá é possível entender a composição estrutural dessas plantas: a disposição em forma de roseta das suas folhas, para captarem mais luz e fazerem sombra para si mesmas, e a capacidade de captação de água que algumas apresentam.

Todos os conhecimentos adquiridos enquanto se passeia pelo Jardim Botânico de Bauru, são fundamentais para a defesa da flora e também da fauna, pois há pelo terreno animais como saguis, diversos pássaros e insetos que são preservados junto das plantas.

Tais animais podem ficar agitados com a presença dos visitantes. Mariana , que levava a filha pequena para conhecer o Jardim, conta que os saguis a assustaram, mas que o programa estava valendo muito a pena. 

Jardim Botânico de Bauru
Mariana e Cristiane com a pequena descobrindo a natureza. (Foto: Giovana Moraes/Impacto Ambiental)
Como professora, Mariana fala sobre a relevância do contato direto com as plantas e animais. “Eu acho muito importante porque desde a infância as crianças têm que aprender sobre o meio ambiente, as flores e até o ciclo de nascer, crescer e morrer, fazendo essa relação com a vida”

Outro grupo que aproveitou as belezas do jardim, foi era turma da primeira série com a professora Roseli. Eles tiveram a oportunidade de explorar o Jardim Botânico com uma prancheta cada e ao longo do percurso faziam anotações e desenhos do que chamasse atenção.

Jardim Botânico de Bauru
Professor Roseli (Foto: Giovana Moraes/Impacto Ambiental)

Roseli , professora e coordenadora pedagógica há 15 anos, explica que anualmente a escola leva os alunos até o Jardim.
"A escola trabalha de maneira construtivista, então a gente parte do princípio da criança experimentar e depois sistematizar, vivenciar experiências. Aqui eles têm a oportunidade de observar, investigar e fazer descobertas.” 

Jardim Botânico de Bauru
Em meio a tantas cores, formatos e aromas, as crianças se divertiram e aprenderam. (Foto: Giovana Moraes/Impacto Ambiental)

  •  Quer visitar o Jardim Botânico de Bauru?
$$ - a entrada é gratuita
Horário - 8h às 16h diariamente.
O endereço é Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros, km 232, entrada pelo Zoológico Municipal de Bauru.



Comente com o Facebook: