Vender ecologia: É cool ser sustentável

Os tempos de lucrar e ganhar likes com sustentabilidade


Eco-friendly tem ganhado espaço nas redes sociais
(Créditos: ShutterStock)

Quando uma empresa usa da sustentabilidade para vender seus produtos, automaticamente ela está fazendo algo certo para o meio ambiente?

Com o aumento da consciência sobre a natureza, as empresas moldaram sua linha de produção e os seus produtos para que os impactos que eles trazem para o meio ambiente fossem minimizados.

Dessa forma, foi criado o Marketing Verde, que é uma estratégia com o objetivo principal de estabelecer formas eficazes de garantia da circulação do mercado de produtos engajados ecologicamente para o nicho específico de consumidores verdes.

De acordo com Michael Jay Polonsky, professor da faculdade de Deakin na Austrália,
O marketing verde consiste no conjunto das atividades com objetivo de produzir e facilitar a comercialização de produtos ou serviços com a intenção de satisfazer necessidades e desejos humanos, porém causando impacto mínimo ao meio ambiente

Assim, espera-se que as empresas que utilizam dessa estratégia se comprometam com o meio ambiente. Porém, isso não acontece em todos os casos.

Nem tudo é verde 

Print do instagram #greenproducts
#greenproducts no Instagram

Muitas das mensagens ecológicas dispostas em produtos se mostraram rasas ou até mesmo enganosas. Desse modo, nasceu a prática de greenwashing, que consiste em esconder os erros causados pelas empresas e usar a causa ambiental como impulsionador de uma estratégia de marketing.

Em São Paulo, o prefeito João Dória decidiu cobrir os muros da rua 23 de maio com um jardim vertical. Entretanto, esse projeto está sendo feito como forma de compensação pelo corte de aproximadamente 850 árvores para a construção de um condomínio na região do Morumbi. Esse exemplo mostra a utilização de greenwashing pela empresa como forma de amenizar o espaço natural desmatado.

De acordo com o artigo "Marketing Ambiental e Limitação ao Greenwashing no Brasil as Novas Regras da Conar", de Camarini e Silva,  muitas  empresas  "se  promovem  ou  buscam  se promover  ao  usarem  a  responsabilidade socioambiental  e  a  sustentabilidade  como bandeira". Assim elas utilizam diversos selos ecológicos alusivos em seus produtos para atingir o consumidor verde.

As autoras ainda ressaltam que “uma  companhia  que  pratica  o greenwashing  costuma  mascarar uma realidade  nada  ecologicamente  correta  para ganhar  a  confiança  e  simpatia  dos consumidores  sem  fazer  muito  esforço (investir  em  sustentabilidade de fato),  no  sentido de melhorar  sua  imagem  institucional.”, dessa forma diversos escândalos e crimes ambientais podem ser acobertados com a utilização do meio ambiente como justificativa.

A positividade do pensamento ecológico

Produtos verdes ganham espaço nos supermercados
Produtos verdes ganham espaço nos supermercados (Créditos: Mundo Verde)

Atualmente no Brasil o CONAR (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária), delimita normas para o uso da sustentabilidade como publicidade para venda de produtos. De modo geral as propagandas promovidas por ações ambientais devem ser comprovadas, claras, efetivas e expressivas, tendo em mente que qualquer dano ao meio ambiente nunca poderá ser reparado de forma equivalente e nem usado para garantir superioridade de uma empresa.

Apesar de algumas  empresas adotarem uma propaganda enganosa ao utilizarem a sustentabilidade como forma de vender seus produtos, outras acabam por se engajar de fato na área ecológica. Desse modo elas não pensam  apenas no impacto que realizam ao meio ambiente, mas também na influência social e econômica que podem exercer no local em que estão ativas.

Edição: Maria Gabriela Zanotti


Comente com o Facebook: