Quais são os biomas nacionais e por que eles são tão importantes?

Entenda um pouco mais sobre o tema que vem aparecendo com frequência nos vestibulares


Biomas
Cerrado brasileiro (Foto: RosarioXavier)

Todos nós já ouvimos falar da palavra Bioma. Mas será que realmente sabemos seu significado e sua importância? Para começar, vejamos como o dicionário define a palavra:
Grande comunidade de plantas e animais que, equilibrada e estável, está adaptada às condições climáticas ou ecológicas de uma determinada região, sendo geralmente definida pelo tipo principal de vegetação
Biomas são, portanto, o conjunto de todos os seres vivos que vivem em uma determinada localidade do planeta. Outros fatores como altitude, solo e clima também caracterizam um bioma.  A palavra foi criada pelo botânico norte-americano Frederic Edward Clements, em 1945, tendo sua origem grega: Bio = vida + oma = grupo ou massa.
Ao decorrer da reportagem, vamos abordar todos os biomas nacionais e analisar suas características mais relevantes. Características essas que, se enquadrarão nos campos econômicos, políticos, sociais e ambientais.Vamos começar?!

Amazônia

A Amazônia é o nosso bioma mais conhecido internacionalmente.  Ficou conhecida como “pulmão do mundo”. A expressão, no entanto, é usada erroneamente. Isso porque, quem realmente fornece a maior parte do oxigênio que o planeta precisa são os planctos, algas marinhas unicelulares.


Amazônia
(Foto: Campanha da Fraternidade)
A Amazônia, na verdade, é exemplo de um ambiente em clímax ecológico, ou seja, consome quase todo oxigênio que produz. Mas é claro que isso não faz com que o desmatamento da Amazônia não seja um problema.

A floresta tem importância ecológica, principalmente, no regime pluviométrico, isto é, no regime de chuvas do país. No processo de evapotranspiração, seus vegetais são responsáveis por liberar 20 bilhões de toneladas de água para atmosfera por dia. Isso corresponde a aproximadamente três mil milhões de elefantes-da-savana! Além disso, ao desmatar, as árvores derrubadas se decompõem e liberam gás carbônico para atmosfera, agravando o aquecimento global.


Elefante-da-savana
Elefante-da-savana, maior espécie de animais terrestres. (Foto: Mandy Goldberg)

Falando em desmatamento, cada vez mais esse tema está sendo pauta. Ano passado, o desmatamento da Amazônia cresceu 30%, sendo um dado preocupante. Em fevereiro e março de 2017, 14% do desmatamento foi feito em unidades de conservação. Além disso, a Amazônia sofre com um grave problema: o desmatamento ilegal. Diversas ações foram feitas para tentar barrar essa atividade, contudo ainda é uma ação muito praticada e difícil de ser fiscalizada.


Desmatamento
Reprodução Change

É difícil falar de desmatamento e Amazônia e não mencionar o atual presidente da república. Michel Temer (PMDB) vem sendo foco das notícias por conta da sua tentativa de extinguir a Reserva Nacional do Cobre e Associados (Renca), que fica na divisa entre o Sul e Sudoeste do Amapá com o Noroeste do Pará. A área protegida corresponde a 46.450 km2 tamanho equivalente ao Espírito Santo. O objetivo do presidente era ampliar a exploração mineral na região. Contudo, devido a fortes críticas de diversos setores da sociedade, Temer voltou atrás de sua decisão.


Michel Temer
(Foto: Beto Barata/PR)

Mata Atlântica


A mata atlântica é o bioma brasileiro mais devastado. Atualmente, apenas 7% da vegetação correspondem a vegetação original. É considerada um dos biomas mais ricos do planeta, apresentando um conjunto de formações florestais bem diversificados. Ela possui a maior diversidade de árvores por unidade do mundo!  


Mata Atlântica
(Foto: carol_peroni)
Sua importância nacional é imensa. 120 milhões de brasileiros vivem nesse bioma e nele são produzidos 70% do PIB brasileiro. Na Constituição Federal de 1988, a Mata Atlântica foi decretada Reserva da Biosfera pela Unesco e Patrimônio Nacional. Felizmente, a cobertura de áreas protegidas cresceu nos últimos anos. Isso é muito importante, já que a Mata Atlântica é responsável por fornecer água potável para 60% da população brasileira e deter dois bilhões de toneladas de gás carbônico.


Infográfico

Cerrado


O cerrado é o segundo maior bioma do Brasil, perdendo apenas para Amazônia. Sua área corresponde a 24% do território nacional. Encontra-se em regiões em que o clima predominante é o subtropical úmido, fazendo com que o bioma apresente duas estações bem definidas: verões chuvosos e invernos secos.


Cerrado
(Foto: Elma Carneiro)



Por conta de sua aparência, caiu no popular que o cerrado não é um bioma importante. Contudo, isso é um equivoco muito grande. O cerrado abriga 11.637 de espécies de plantas nativas, 199 espécies de mamíferos, 837 de aves, 1200 de peixes, 180 de répteis e 150 espécies de anfíbios, caracterizando o cerrado como a savana mais rica do mundo. Ademais, encontram-se, nesse espaço territorial, as nascentes das três maiores bacias hidrográficas da América do Sul: Prata, São Francisco e Amazônica/Tocantins.


Lobo-guará
(Foto: Edson Roberto Ribeiro da Silva)


OSegundo a WWF, World Wide Fund for Nature (Organização Não Governamental Internacional) dedicada à conservação da natureza, somente 19,15% do cerrado possui sua vegetação original em bom estado. As duas principais atividades responsáveis pela degradação do bioma é a monocultura intensiva de grãos e a pecuária extensiva de baixa tecnologia. Atualmente, 60% do território do cerrado é destinado à pecuária e 6% aos grãos, principalmente a soja. É importante falar que a soja era antes produzida apenas no Sul do país, por conta do clima mais frio. Em 1975, no entanto, foi criado o Centro Nacional de Pesquisa de Soja, permitindo, assim, que a soja também fosse cultivada em climas tropicais.

Pecuária
Pecuária no cerrado (Foto: Divulgação Fazenda Carandá)

É preciso ressaltar a importância social do cerrado. Diversas populações, como indígenas, geraizeiros, quilombolas, ribeirinhos e babaçueiras sobrevivem de seus recursos naturais. Infelizmente, mesmo sendo explorado da maneira que é, o cerrado possui uma área muito pequena de preservação. Apenas 8,21% da área total é preservada, sendo que desse total, apenas 2,85% são unidades de conservação de proteção integral.

População Geraizeiro
População Geraizeiro

Caatinga


O nome caatinga significa, em tupi-guarani, “mata branca”. Referência a sua vegetação que, durante a estação de seca, perdem quase toda sua folhagem. Devido a forte ação antrópica que o bioma passou, existem áreas que estão passando pelo processo de desertificação. O manejo inadequado do solo e o corte de vegetação para retirada de lenha estão entre os maiores problemas.
Cerrado
(Foto: Miguelzinho de Brás)


O clima da caatinga é semiárido, com altas temperaturas. Seu solo é rico em minerais e seu sistema de chuvas complexo, pois as chuvas são muito irregulares. Como é um bioma exclusivamente brasileiro, seu patrimônio biológico é único no mundo, tornando sua preservação ainda mais importante.


Animais
(Foto: Miguelzinho de Brás)


27 milhões de pessoas vivem no território da caatinga, sendo que sua maioria sobrevive de recursos da biodiversidade local. Isso faz com que o desmatamento e a queimada, prática no preparo da terra para agropecuária, sejam muito comuns. 80% de seu ecossistema original já foi alterado por ações do homem.  Para ajudar em sua preservação é preciso que mais estudos sejam feitos sobre a caatinga, já que é o bioma menos estudado.


Pampa


O nome pampa também tem origem indígena. Originou-se do vocábulo quéchua, que significa “planície”. Está restrita ao território do Rio Grande do Sul, ocupando 63% do estado. Em território nacional, no entanto, ocupa apenas 2,07%. O pampa foi cenário da Guerra do Paraguai, conflito que envolveu Brasil, Argentina, Uruguay e Paraguay.

Pecuária
(Foto: Daniel Herrera)




A pecuária extensiva tem sido, desde a colonização, a maior atividade econômica da região. A forte pecuária acarretou na grande perda de vegetação nativa. O clima da região é subtropical e sua vegetação é formada de gramíneas, plantas rasteiras, arbustos e algumas árvores nas margens dos rios. O pampa é o bioma que tem a menor área de preservação, sendo apenas 0,4% de seu território nacional protegido.

Pantanal


O pantanal ficou conhecido pela novela que levava seu nome, exibida pela extinta Rede Manchete, e pelas músicas de Almir Sater, cantor e compositor mato-grossense.


Almir Sater
Cantor e compositor Almir Sater

O pantanal é o menor bioma brasileiro, ocupando apenas 1,76% do território nacional. Apesar de seu tamanho, é a maior planície alagada do mundo.  Assim como os outros biomas, o pantanal tem sido muito afetado pela ação do homem, principalmente pela ação agropecuária. Apenas 4,6% de seu território encontra-se protegido.

A flora e a fauna da região são bem diversificadas. Em relação a flora, o pantanal possui um mosaico de plantas do Cerrado, Floresta Amazônia, Mata Atlântica e Chaco (paraguaio e boliviano). Já em relação a fauna, possui 325  espécies de peixes, 53 anfíbios, 98 répteis, 656 aves e 159 mamíferos. O tuiuiú é a ave símbolo do pantanal.  

Tuiuiú
Tuiuiú, ave símbolo do pantanal (Foto: Carlos Ravazzani)

Edição: Mariane Borges