Empreendedorismo sustentável: a responsabilidade de quem produz

Sustentabilidade e lucro podem caminhar na mesma direção

sustentabilidade
Produzir energia limpa é sustentabilidade/Crédito: Piro4D/pixabay
Aliar o ganho econômico à prática sustentável pode parecer um desafio. Mas hoje cresce o número de empreendimentos e acionistas preocupados com o impacto ambiental e social de sua atuação.
As empresas e industrias são algumas das responsáveis pelo padrão de consumo da população. A sustentabilidade, se pensada desde os processos de produção pode ser uma grande aliada do meio ambiente.


Sustentabilidade para quê?

Os recursos naturais, utilizados em larga escala na prática de mercado, são bens finitos, ou seja, sua utilização desregrada e sem reposição pode resultar em seu esgotamento, o que influenciaria no equilíbrio do meio ambiente.
recursos naturais
Pensar os recursos naturais como bens finitos revela a importância da sustentabilidade/Crédito: Gerald/pixabay
A startup brasileira GreenAnt acredita “que é importante mostrar que sustentabilidade e lucratividade não caminham em direções opostas".
Assim, negócios focados na otimização do uso de recursos e redução de desperdícios provocam impactos positivos tanto na economia quanto no meio ambiente, já que uma ação sustentável pode prevenir muitos dos problemas presentes na paisagem e cotidiano dos centros urbanos.
A poluição do ar, a derrubada de árvores sem reflorestamento e a insistência em embalagens descartáveis, por exemplo, geram consequências visíveis na rotina das grandes cidades, como ocorrência de chuvas ácidas, enchentes, até a falta de chuva e devido a isso, problemas respiratórios na população.
Poluição
Poluição/Crédito: SD-Pictures/pixabay
Segundo o biólogo André Lucca, “vivemos na sociedade do descartável. Fomos educados para utilizar os 3 R’s (Reduzir, Reutilizar e Reciclar) que foram esquecidos com o tempo. Com isso, nosso consumo diário de produtos descartáveis aumenta. E os impactos também”.

Como e por quê ser uma empresa sustentável?

A sustentabilidade não se limita apenas ao impacto ambiental. Para uma empresa ser considerada sustentável, suas práticas devem abrigar ainda, o retorno social. Ao contrário do que se pensa, a ação social e ambientalmente correta não é sinônimo de elevação dos gastos às alturas.
“A principal necessidade para agir em prol da sustentabilidade é a vontade. Desde um pequeno empreendedor até as grandes multinacionais podem produzir sendo sustentáveis, reduzindo a produção de lixo, utilizando a água com responsabilidade, são ações que têm custo zero”.
empresa sustentável
Como fazer um empreendedorismo sustentável/Crédito: Nayara Campos
O biólogo sustenta que grande parte do lixo produzido é decorrente do padrão de produção adotado pelas empresas e pela indústria. Segundo ele, se mudanças simples acontecessem como, por exemplo, a substituição de produtos descartáveis por retornáveis, as reduções dos impactos seriam gigantes.
Se os responsáveis pelos produtos também fossem responsáveis pelos resíduos gerados pela utilização destes produtos, a sustentabilidade seria consequência.
produtos descartáveis
 Produtos descartáveis e o impacto no ambiente/ Crédito: Aitoff/pixabay
Ser sustentável pode garantir maior visibilidade para uma empresa. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), por exemplo, desenvolveu o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE)
Com o objetivo de informar aos acionistas como uma empresa alia a sustentabilidade com seu desenvolvimento, o ISE avalia e compara a ação de práticas sustentáveis entre as empresas que possuem ações na Bovespa.

Exemplos de iniciativas sustentáveis

A Startup GreenAnt investe em sustentabilidade na área de produção de energia. De acordo com Thiago, representante da empresa, “a GreenAnt oferece informação para que o consumidor seja seu próprio consultor de eficiência energética". Sob essa ótica, a eficiência energética pode ser percebida como uma forma mais limpa e barata de “gerar” energia.
proteção ao meio ambiente
Sustentabilidade é proteção ao meio ambiente/Crédito:Ejaugsbur/pixabay
O projeto Enactus da Unesp-Bauru é um exemplo de que o empreendedorismo sustentável é possível. Composto por estudantes, a Enactus mantém o projeto Ubiraci, que, segundo a integrante Beatriz Vercesi, reutiliza madeiras que seriam descartadas para construir móveis com os moradores da comunidade de dependentes químicos Bom Pastor. O dinheiro das vendas dos produtos é revertido para a comunidade.



Editora: Giovanna Romagnoli


Comente com o Facebook: