Os 4 minutos mais caros para o meio ambiente

Entre os descartáveis poluidores, canudinhos plásticos são os que possuem a vida útil mais curta 

Segundo o Fórum Econômico Mundial de Davos, até os anos de 2050 teremos mais plásticos nos oceanos que animais marinhos. Foto/ Reprodução: wearesorbos

Os primeiros usos de canudos foram registrados há cerca de 5 mil anos, entre os sumérios, e na época eram feitos de ouro e outros  materiais preciosos, ligando seu uso à nobreza. Com o passar do tempo, os canudos foram se desvinculando da ideia de nobreza e posses e passaram, então, a serem feitos com materiais mais acessíveis.


Nos anos de 1960 e 1970 foram adotados os primeiros canudos de plástico, ganhando o mercado devido a sua resistência e a um baixo custo de produção. Contudo, os canudinhos que na época representavam praticidade, hoje se transformaram em vilões do meio ambiente.


Atualmente representam cerca de 4% de todo o lixo plástico do mundo e, devido a sua composição plástica, não é biodegradável, podendo levar cerca de mil anos para se decompor.


Estima-se que só nos Estados Unidos sejam consumidos aproximadamente 500 milhões de canudos por dia, quantidade suficiente para encher 46.400 ônibus escolares ou dar duas voltas e meia no planeta todos os dias.


A principal vítima do excesso de consumo dos canudinhos plásticos é a fauna marinha. “Os canudos têm um impacto negativo muito sério pro meio ambiente. Eles têm uma vida útil de 4 minutos e podem ser confundidos com alimento pelos animais marinhos”, afirma Marina Marcucci, participante do projeto Menos 1 lixo, que tem como objetivo incentivar as pessoas a reduzirem a sua geração de lixo.


De acordo com o estudo recente do Instituto Oceanográfico da USP, em parceria com o Instituto Socioambiental dos Plásticos, os materiais plásticos representam 95% dos lixos encontrados nas praias brasileiras.

Segundo o ranking dos países mais poluidores dos mares, o Brasil se encontra na décima sexta posição. Lucas Siqueira da Meu Rio, ONG carioca que desde 2011 busca aproximar a população por diferentes causas, afirma:
“Todo esse cenário mostra com muita clareza a relação nociva entre o uso e descarte dos plásticos descartáveis no Brasil”.


A proibição dos canudos no Rio de Janeiro

Devido a ONG Meu Rio e ao projeto do vereador Jairinho (MDB) foi aprovado, no dia 18 de julho, o decreto que regulamenta a lei que proíbe os canudinhos de plástico na cidade do Rio de Janeiro. A lei entra em vigor a partir do dia 18 de agosto, banindo o objeto do comércio.

Segundo Lucas Siqueira, a campanha pela aprovação da lei que acaba com os canudos de plástico no Rio de Janeiro foi um primeiro passo para que a cidade consiga repensar a dinâmica da produção dos plásticos descartáveis.

Afinal, outros materiais plásticos descartados indiscriminadamente também causam uma série de malefícios para a natureza, e o seus usos devem ser debatidos e repensados. Lucas também diz que o fim dos canudos é uma porta de entrada para diversas outras discussões sobre políticas ambientais já que, até então, a população carioca tem reagido positivamente com a nova lei.  

Esse cenário favorável para discussões ambientais pode ser visto também na câmara de vereadores, sendo que só houve um voto contra o projeto.

Canudos Alternativos

Mesmo que o uso de canudos seja a representação clara do consumo sem consciência, há alternativas mais sustentáveis para quem quer continuar usando o objeto de forma que não prejudique o meio ambiente, variando sua facilidade de acesso de acordo com a região e o tipo de material.

● Canudos de Vidro O canudo de vidro é atóxico, termoresistente, lavável e é encontrado facilmente na internet.

Foto/Reprodução: Paz de Gaia


● Canudo de Gelo O canudo de gelo é o mais ecologicamente correto, porém acaba diluindo-se, tornando-o menos viável para transporte e armazenamento. 
Foto/Reprodução: urbanoutfitters


● Canudos de Metal
O canudo de metal é muito conhecido por acompanhar bebida típicas como o chimarrão e o tereré. É uma opção de fácil acesso e com uma boa durabilidade, só precisa ser feito de um material inoxidável e pode ser encontrado na internet.
Foto/Reprodução: RBS TV


● Canudos de Papel
O canudo de papel foi o primeiro produzido em escala industrial, mas como tem se tornado uma opção mais ecológica tem voltado ao mercado.
Foto/Reprodução: Wikimedia

● Canudos de Cereal
O canudo de cereal também não é uma opção muito difundida, mas semelhantemente ao de fruta não deixaria resíduos, sendo ingerido após o uso.
Foto/Reprodução: eatmedaily

● Canudos de Bambu
O canudo de bambu é uma boa opção por ser natural, reutilizável, durável, com um ar artesanal e com algumas opções na internet.
Resultado de imagem para canudos de bambu
Foto/Reprodução: Paz de Gaia


Opções não faltam para serem exploradas e é preciso que cada cidadão faça sua parte no dia a dia e pressione o poder público para que, assim,  medidas como a lei dos canudos no Rio de Janeiro sejam mais recorrentes. Como disse a Marina Marcucci:
“Todas as pequenas atitudes são transformadoras. Recusar qualquer plástico descartável já é um passo muito importante nesse caminho. Recusar o copo plástico ou deixar de utilizar talheres descartáveis, tendo na bolsa ou na mochila um copo reutilizável ou talheres é fácil, prático e impacta positivamente o meio ambiente”.



ATENÇÃO, VÍDEO COM IMAGEM FORTES 

Em 2015, a bióloga marinha Christine Figgener filmou a retirada de um canudo plástico da narina de uma tartaruga marinha, trazendo a tona a discussão dos perigos que esse produto pode oferecer aos oceanos.

Para assistir ao vídeo basta clicar aqui. Porém, já deixaremos avisado que o conteúdo é forte devido ao sofrimento do animal.

Editora: Beatriz Bethlem


Comente com o Facebook: