Eymael reduz seu plano de governo na questão ambiental

O deputado federal de São Paulo se candidata pela quinta vez à presidente da república

Eymael
Seu código eleitoral é o 27/Foto: divulgação


José Maria Eymael é advogado, empresário e político filiado ao Partido Democrata Cristão (PDC). Foi deputado federal pelo estado de São Paulo em dois mandatos consecutivos, de 1986 a 1995, e apresenta agora sua quinta candidatura à presidência da república.

A proposta ambiental do candidato é concisa e abrangente, consiste em “proteger o meio ambiente e assegurar a todos o direito de usufruir a natureza sem agredi-la”, tendo como orientação a noção de que “ a terra é pátria dos homens”.


O plano de governo de Eymael parece ir na contramão das tendências nacionais e internacionais, pois enquanto o mundo se envolve cada vez mais intensamente em debates sobre sustentabilidade, o candidato reduziu seu plano de governo quanto a questões ambientais.

Em 2010, ele apresentou uma proposta mais detalhada, contendo sete itens que abrangiam assuntos como produção e consumo sustentáveis, redução do desmatamento na Amazônia e da emissão de gases de efeito estufa, reflorestamento e criação de áreas verdes. No entanto, quatro anos depois, seu plano de governo apresentou apenas a introdução do que foi apresentado na candidatura anterior, e assim se manteve até as eleições deste ano.

Pode-se imaginar, portanto, que os maiores esforços de elaboração do plano de governo do candidato há oito anos seja um reflexo dos debates sobre a Agenda 21, modelo de ação formulado pela organização das Nações Unidas (ONU) visando a preservação ambiental.

Quaisquer que sejam as motivações do candidato, essa redução de propostas voltadas ao Meio Ambiente constituem um retrocesso à preservação dos recursos naturais brasileiros.

Leia a seguir:  Acompanhe a matéria escrita pela nossa repórter, Julia Costezia, sobre o plano de governo do candidato do PSDB, Geraldo Alckmin.

Edição: Giovanna Romagnoli