Guia de Profissões: Médico Veterinário

Já pensou em seguir esta carreira? Confira abaixo informações sobre o curso e suas áreas de atuação 


O médico veterinário pode trabalhar tanto com animais domésticos como animais de grande porte/ Imagem: faculdade Anclipeva


Provavelmente quando você pensa em um médico veterinário, logo vem a sua cabeça aquele profissional que ama os animais, pois é! O veterinário é responsável por cuidar da saúde e bem-estar animal, já que a medicina veterinária é uma ciência voltada ao tratamento e prevenção de doenças do mundo animal.

Além disso, este profissional se dedica à saúde humana, pesquisando e procurando tratamentos para as doenças transmitidas pelos animais aos seres humanos, ou seja, ao controle da zoonose, na qual a Médica Veterinária Daniela Higino fala sobre:

Temos compromisso também com a saúde humana, poucos sabem que o Médico Veterinário também participa por exemplo, da fiscalização das carnes que comemos e da água que bebemos. Quando o Médico Veterinário cuida da saúde no animais, previne a zoonose (doença que é passada do animais para o homem), desta forma, participa diretamente da saúde pública sendo um importante sanitarista.

O amor pelos animais é uma das características do médico veterinário/ freepik


O Curso


Regulamentado desde o ano de 1968, o curso de Medicina Veterinária é da modalidade bacharel e possui uma duração média de 5 anos. Para exercer a profissão é obrigatório ter um diploma de nível superior reconhecido pelo MEC, além do registro no Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV).

Durante a graduação, o estudante terá disciplinas teóricas e práticas em laboratórios ou hospitais veterinários, além do estágio obrigatório. Todo curso superior forma profissionais generalistas, ou seja, capacitados para exercer as mais de 80 áreas de atuação, como informa o CRMV.

Há a possibilidade de especialização deste profissional em uma área de interesse. São oferecidos cursos de pós-graduação, mestrado, doutorado e afins.

A estudante do primeiro ano de Medicina Veterinária, Giovanna Oliveira, nos conta um pouquinho mais sobre o curso:
O primeiro semestre não é tão prático, ficamos muito na parte teórica, apenas no segundo semestre começamos a ter contato com as peças anatômicas ( que é muito chocante pra quem nunca teve contato). O curso de Veterinária é mega difícil, acredito que seja mais difícil que o de medicina, pois precisamos saber sobre tantas espécies de animais que ficamos doidos, mas quem ama arruma um jeitinho pra tudo. Temos matérias como: clínica/cirurgia de grandes e pequenos, animais silvestres e etc., mas para se especializar mesmo a gente tem que fazer a residência, ou cursos de especialização, mas na faculdade a gente aprende de tudo um pouco.’’

Existem cursos em período integral ou parcial. É preciso lembrar que o estudante deverá se dedicar muito tempo aos estudos, atividades práticas e trabalhos. Algumas faculdades exigem a apresentação do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), basta verificar na grade curricular da faculdade de sua escolha.


Áreas de Atuação


Para Higino, a medicina veterinária é um área muito abrangente, ela afirma que são muitas opções e oportunidades de atuação dentro desta área.

Este profissional tem mais de 80 áreas de atuação em diferentes setores que vão desde a clínica de atendimento animal, desenvolvendo medicamentos, controle e fiscalização de qualidade de produtos de origem animal e veterinários no órgão de inspeção Anvisa, por exemplo, até pesquisas na área genética e saúde humana.


Mercado de Trabalho


São mais de 84 mil médicos veterinários em atividade no Brasil, segundo dados da pesquisa do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), em 2013. No entanto, isso não deve te desanimar, já que esta profissão está em expansão e possibilita diversas áreas de atuação.



Onde estudar


Segundo o site Mundo Vestibular, essas são as 5 melhores faculdades de Medicina Veterinária reconhecidas pelo MEC:



  • Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL);


  • Universidade Federal de Viçosa (UFV);


  • Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR);


  • Universidade José do Rosário Vellano (UNIFENAS);
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP)

Editado por: Ingrid Watanabe