9 dicas ecológicas para aproveitar a praia

Confira algumas atitudes que podem fazer a diferença quando viajar ao litoral






Com a chegada do verão e seu intenso calor, nada melhor que aproveitar as férias de fim de ano para uma viagem à praia. Sol, badalação, quiosques no calçadão, água gelada do mar... e até uma belíssima queima de fogos para quem decide passar o Réveillon no litoral.

Porém, grande parte dos turistas se esquece que toda essa festa pode causar graves danos ambientais aos ecossistemas marinhos.

Dados do último Réveillon

Em Copacabana, após as festividades que reuniram aproximadamente 2,4 milhões de pessoas, quase 290 toneladas de lixo foram retiradas da praia. Já em toda a orla da cidade do Rio de Janeiro, foram mais de 650 toneladas de resíduos.

Na Praia de Piracema, em Fortaleza, a prefeitura estimou cerca de 70 toneladas de resíduos sólidos. Foram mobilizadas mais de 380 pessoas para fazer a coleta. De acordo com Adriano Ricardo, engenheiro da Secretaria da Conservação e Serviços Públicos de Fortaleza, o principal motivo de tanto lixo é a falta de conscientização do público, que faz o descarte de forma incorreta. “Se todo mundo usasse seu saquinho e colocasse em local apropriado, a nossa operação seria bem mais facilitada”, afirma.

Esses não são casos isolados. A problemática com o lixo encontrado nas praias atinge todo o litoral brasileiro, principalmente durante essa época do ano.

Como forma de tentar sensibilizar a população, o Aquário de Ubatuba, o Projeto Tamar e o Instituto Argonauta montam, todos os anos em Ubatuba, no litoral norte de São Paulo, uma tradicional árvore de natal enfeitada com parte do lixo encontrado nas praias.

A tradicional árvore de natal de Ubatuba já está montada para as festividades da virada de 2018-2019. Imagem: divulgação / Projeto Tamar

Os impactos do lixo

Além de tornar as praias feias e sujas, incomodando os visitantes e moradores, o descarte incorreto de resíduos no litoral pode causar danos irreparáveis ao meio ambiente. Segundo o Programa Ambiental das Nações Unidas (PNUMA), 90% de todos os detritos dos oceanos são compostos por plástico.

O plástico é um resíduo que demora muito tempo para se decompor e pode afetar tragicamente a vida marinha.

No começo do mês de dezembro, um golfinho de uma espécie em extinção foi encontrado morto na Praia Grande, litoral de São Paulo. O animal estava com um lacre plástico preso em seu focinho, impossibilitando-o de se alimentar. Além disso, a equipe do Instituto Biopesca, que realizou o exame necroscópico, encontrou pedaços de plástico no sistema digestório da toninha.

De acordo com dados do Instituto, aproximadamente 70 animais encalham e são resgatados por mês, estando a maioria já sem vida, em 80 quilômetros de praias. Um levantamento mostra que em 90% das tartarugas recolhidas foram encontrados resíduos plásticos no sistema digestor.

Golfinho de espécie em extinção foi encontrado morto, impedido de se alimentar por um lacre de plástico preso em seu focinho. Imagem: Vanessa Ribeiro/Instituto Biopesca

Recentemente, foi realizada uma campanha global para se evitar o uso de canudinhos plásticos, e inclusive o IMPACTO publicou uma matéria: Os 4 minutos mais caros para o meio ambiente.

A campanha visa diminuir o consumo de um dos itens de plástico com a vida útil mais curta, o que gera muita produção e um descarte mais rápido. Entretanto, todos os plásticos precisam ser evitados, como os práticos copinhos descartáveis.

SAIBA MAIS sobre o impacto do copo plástico descartável

Dicas para aproveitar a praia de maneira mais ecológica

Se você vai à praia e deseja aproveitar da melhor maneira, causando o menor impacto ambiental possível, então não deixe de conferir essas dicas preciosas:

  1. Jogue o lixo no lixo: a primeira e principal dica para ser amigo da natureza é fazer o descarte correto do seu lixo. Há vários cestos espalhados pela praia e quiosques. Não deixe o seu rastro na areia, nem mesmo para pegar depois. As ondas podem levá-los direto ao mar.
  2. Tenha a sua sacolinha: uma dica bastante preciosa é ter sua própria sacolinha de lixo. Assim, não precisa se preocupar em se levantar toda hora para procurar uma lixeira. Mas não se esqueça depois de descartar a sacolinha no cesto.
  3. Evite canudinhos: faça parte da campanha e evite, sempre que puder, o uso de canudinhos descartáveis. Ao comprar sua água de coco, você pode pedir para o vendedor despejar o líquido em um copo.
  4. Leve sua caneca: falando em copos, que tal levar sua caneca sustentável para a praia com você. Além de ajudar a diminuir o consumo de plástico, você estará todo chique com sua caneca estilosa.
  5. Corte os lacres de garrafas: hidratar-se é muito importante! Mas ao comprar garrafas de água ou de qualquer outra bebida, corte os lacres antes de descartá-los. Essa é uma dica do Instituto Biopesca para evitar acidentes como ocorreu com o golfinho citado na matéria.
  6. Não use glitter: para quem gosta de brilhar no Ano-Novo, o glitter pode até parecer divertido, mas faz um mal danado para a natureza. O glitter convencional é um tipo de microplástico que vai parar no organismo dos animais. Por ser minúsculo, é impossível recolhê-lo do ambiente.
  7. Proteja suas coisas: não deixe objetos espalhados pela areia, como sandálias, óculos escuros e brinquedos. Deixe-os presos e seguros, para que as ondas não possam carregá-los.
  8. Leia os rótulos dos cosméticos: o cuidado com a pele é fundamental! Não deixe de usar protetor solar, creme hidratante, pós-sol... Mas conheça o produto que está usando. Saiba mais sobre isso na matéria Cosméticos do Bem.
  9. Ecoturismo: você também pode aproveitar o passeio visitando as ongs e instituições que cuidam dos ecossistemas da região para onde você foi. Além de descobrir mais sobre o lugar onde está, conhecerá o trabalho das equipes que lutam pelo meio ambiente.


LEIA TAMBÉM:

0 comentários:

Postar um comentário