SIMAB 2019 divulgou ideias sustentáveis por toda Bauru

Acompanhe tudo que rolou nesta edição da Semana Integrada do Meio Ambiente de Bauru


As crianças se divertiram conhecendo o Jornal durante a SIMAB. Foto: Maria Eduarda Vieira


A cerimônia de abertura da Semana Integrada do Meio Ambiente de Bauru (SIMAB) ocorreu na segunda-feira (03/06), na sala 1 da Unesp. O evento teve a presença do prefeito Clodoaldo Gazzeta, dos secretários do Meio Ambiente e de Planejamento Urbano, junto a organizadores e parceiros.

Para dar o pontapé inicial, o coral infantil da Casa de Criança “Madre Maria Teodora Voiron”, coordenado pela ABDA (Associação Bauruense de Desportes Aquáticos), cantou músicas sobre o meio ambiente, promovendo assim a causa sustentável de forma artística. As crianças vieram do Jardim Eugênia justamente para cantar na abertura da SIMAB. A coordenadora da Casa da Criança, Erica Albierre destaca que isso é um marco para o grupo “Sempre tivemos esse sonho, pro desenvolvimento das crianças isso é muito importante”.

A Secretária de planejamento, Letícia Rocco Kirchner atua na área de planejamento urbano e preparou uma palestra sobre cidades sustentáveis para o público. Esse tema é a discussão central da SIMAB deste ano, o que significa a adoção de políticas públicas para a cidade, levando em consideração o planejamento sustentável.

Durante a palestra, Letícia abordou aspectos que dizem respeito às medidas públicas para que Bauru seja mais sustentável. Para ela, a implementação de normativas conduz e incentiva a cidade nesse caminho. Mas para que isso seja feito, é preciso que haja políticas de adaptação das ruas. Como por exemplo, a adequação de vias acessíveis e sustentáveis, com drenagem para contenção de água e em meio a áreas verdes, para que todas as pessoas possam transitar com tranquilidade.

O Secretário do Meio Ambiente, Sidnei Rodrigues também esteve presente no evento. Para ele, a SIMAB é importante pois tem um caráter educacional. “Percebo que havia um momento que a SIMAB acontecia apenas no meio acadêmico. Quando abriu para as instituições e empresas participarem a gente chegou numa reflexão maior: “O que fazer com os problemas que temos?” Isso porque não tem como travar o desenvolvimento. A partir daí as pessoas foram se conscientizando, foram aparecendo normas legais que buscam preservação do meio ambiente, e com isso aumentou o engajamento das pessoas”.

A Secretária do Meio Ambiente de Bauru foi responsável pela organização da SIMAB. (Foto: Giovana Moraes)


O segundo dia da SIMAB foi agitado. Logo pela manhã, na terça-feira, estivemos na Universidade de São Paulo (USP), para acompanhar a campanha contra o desperdício de alimentos no Restaurante Universitário do campus de Bauru. 

O evento foi realizado em parceria com o programa USP Recicla, que organiza a Semana do Meio Ambiente (SMA) da faculdade, que ocorre na mesma data da SIMAB. Assim que os alunos terminavam suas refeições, passavam por uma pesagem da bandeja, a fim de fazer um levantamento da quantidade de alimentos desperdiçados. Para promover a conscientização acerca desse tema, a equipe distribuiu arranjos florais com mensagens sobre sustentabilidade por todo restaurante.
Segundo a professora de bioquímica e coordenadora do programa, Ana Carolina Magalhães, as atividades desenvolvidas com os alunos da graduação  são, “momentos oportunos para reflexão, não só para questões ambientais mas também aquelas que envolvem a sociedade.”

Também no segundo dia da SIMAB, ocorreu a palestra “Os crimes ambientais do cotidiano e a atuação da Polícia Militar Ambiental” ministrada pelo Cabo PM Leandro Marcomini. A atividade foi sediada pelo SESI Bauru e teve como público os alunos do ensino médio SESI 358 do período da manhã.

Os crimes ambientais são irregularidades em carvoarias, madeireiras ilegais, tráfico de animais, desmatamento ilegal, caça por esporte, manter animais silvestres em cativeiro ou sem autorização, descarte incorreto do lixo em rios, mares ou terrenos e maus tratos a animais domésticos, entre outros. Além disso, a Polícia Ambiental também também trabalha na conscientização e educação da população, por meio de palestras e compartilhamento de informações.

O cabo Marcomini pontua que o desenvolvimento sustentável é baseado em um tripé: o social, o econômico e o ambiental. Quando este tripé está em equilíbrio, todos saem ganhando. Junto a isso, ele oferece algumas dicas sobre levar o conceito sustentável na prática, como reuso da água, piso ecológico, captação de água da chuva, teto solar, plantio de árvores na calçada e o descarte correto do lixo, utilizando por exemplo, os ecopontos, onde várias famílias tiram seu sustento.

Cabo PM Marcomini relata a importância de ações em prol da conscientização. Foto: Vanessa Pinto Moraes

A punição para os crimes ambientais vão desde de multas até prisões, lembrando que qualquer um pode ser infrator ambiental. As denúncias podem ser feitas no número 3103-0150, essa é a central da Polícia Militar Ambiental segunda companhia.

O terceiro dia (05/06), aconteceu uma palestra sobre o uso dos plásticos, no anfiteatro de educação da Unesp de Bauru. A palestra foi ministrada por uma professora que abordou a problemática do uso de plásticos no mundo, considerando que seu consumo aumentou ao longo dos anos.

Um ponto importante da palestra foi quando a discussão entrou na questão de sensibilização da população. Para ela, a temática ambiental e sustentável demorou para ter relevância na sociedade e isso gerou um atraso na educação ambiental.

Porém, para algumas pessoas isso faz parte do cotidiano. É o caso de Maria Madalena, que veio Cerquilho, cidade de cerca de 40 mil habitantes, para participar da Simab. Maria recicla o lixo que coleta nos condomínios de Cerquilho e, com isso, consegue juntar uma renda mensal, “A gente coleta o lixo e leva diretamente para uma cooperativa da cidade. Também recolho óleo usado para reutilizar na fabricação de ração de cachorro e papelão. Com esse trabalho consigo uma renda mensal. Por meio disso eu vivo muito bem. Por meio da reciclagem há muita coisa que dá pra aproveitar”.


O Impacto Ambiental esteve presente em diversos eventos da SIMAB. (Foto: Giovana Moraes)
Na última sexta-feira, dia 7, a SIMAB promoveu uma feira de projetos a fim de apresentar para as escolas de Bauru todas as instituições parceiras da prefeitura. O evento foi realizado no espaço de exposição do Poupatempo, começou às 8:00 e encerrou às 16:00.

Quando o assunto é meio ambiente, Bauru está repleta de projetos que promovem a sustentabilidade. Estavam presentes o “Bio na Rua”, o pessoal do Jardim Botânico e do Zoológico Municipais, o DAE (Departamento de Água e Esgoto). Também estiveram presentes o SESI Bauru e o Seicho-no-ie. A reunião dos projetos, em um mesmo local, proporcionou o intercâmbio de conhecimentos e vivências entre seus membros.

No período da tarde, a Feira Ambiental de encerramento da SIMAB prosseguiu com as visitas das escolas de ensino fundamental e médio e da população presente no Poupatempo.

USP Recicla compareceu trazendo informações sobre o projeto da Universidade de São Paulo, que promove ações de reciclagem e de consumo responsável dentro do campus. Eles levaram exemplos do adubo desenvolvido a partir de resíduos orgânicos.

O projeto Impacto Ambiental interagiu com as crianças e os adolescentes com suas plaquinhas de tirar fotos e com os jornais e os saquinhos de girassóis que foram distribuídos como brindes. Além de se divertirem com os brindes, o público conheceu um trabalho realizado na Unesp de Bauru, por consequência dos saguis dentro do campus.


Estudantes tiram fotos temáticas do Impacto. (Foto: Fernanda Pereira)
O Jardim Botânico promoveu a campanha “Eu curto sagui: ele lá, eu aqui”, na qual aborda a importância de não alimentar esses animais. Saguis possuem uma alimentação restrita e não necessitam de alimentos industrializados dos humanos, pois estes podem causar diabetes e aumento no colesterol deles. A troca não é benéfica, já que os saguis transmitem raiva e os humanos herpes, sendo um risco um para o outro.

Seguindo a proposta educativa, o Zoológico Municipal trouxe o cardápio de alguns animais que se encontram lá. Desenvolveram um jogo em que o público precisava acertar a alimentação do tamanduá, tucano, lobo-guará, mico-leão-dourado e da onça.

Após a explicação do tipo de alimentação, as pessoas que passavam por lá puderam apreciar ossos dos crânios dos animais comentados e uma figura representativa de um tamanduá de verdade.
As crianças tiveram momentos de brincadeiras com o SESI, em uma brincadeira intuitiva e dinâmica chamada “Aventuras do Ieté em busca do tesouro”. O jogo tinha como objetivo fazer com que elas entendessem melhor o percurso da água antes de chegar em suas residências, por meio da personagem Ieté.

Os estudantes jogavam um dado e andavam pelo mapa no chão, ajudando Ieté a achar o tesouro. A partir disso, eles aprenderiam a importância da preservação da água no planeta e quais os problemas enfrentados pelos rios até chegar em nossas torneiras.

O público pôde ainda aprender um pouco mais com a Secretaria do Meio Ambiente (SEMMA) sobre o Telhado Ecológico. Foi realizada uma exposição da maneira que é feito o telhado com solos e jardins e o porquê deles serem importantes para a coleta de água da chuva. Podendo, inclusive, melhorar a situação de enchentes na cidade de Bauru e em todo o mundo.

Stand de Microbiologia. Foto: Eduardo Moreira


Ao longo da feira, o Impacto conversou com os estudantes de Biologia do projeto “Bio na Rua”. Iniciativa de divulgação científica, que tem por objetivo levar informações sobre as ciências biológicas para população. Desde 2012 a Comissão Organizadora do Bio na Rua, em parceria com o Centro Acadêmico de Biologia da Unesp de Bauru (CABIO), aproxima a ciência das pessoas. 

Durante um dos stands, aprendemos sobre a permacultura e como ela é capaz de reduzir os impactos ambientais causados pelo homem. Esta é um sistema que planeja para que o design seja uma simulação ou um espelho diretamente ligado aos padrões e características observados na natureza.
O método foca em pensamentos e ações de princípios ecológicos, que podem ser utilizados para criar e gerir a vida de maneira mais sustentável.

Foto do “Bio na Rua” sobre educação sexual. Foto: Rafaela Thimoteo

A estudante do curso de Biologia, Fernanda Borges, participou da bancada de Educação Sexual que abordou várias questões como: prevenção a gravidez, DSTs, abuso sexual de crianças e adolescentes, machismo, homofobia, transfobia e racismo. 

A bancada também abordou a relevância da camisinha, desconstruindo mitos sobre resistência e sensibilidade do preservativo. Além disso, falou do consentimento e da violência sexual. “Infelizmente vivemos numa sociedade que não respeita as mulheres, LGBTs e negros, então a gente tem que sempre estar reforçando o respeito e a igualdade”, diz Fernanda.

De acordo com a estudante, é essencial trazer o conhecimento científico produzido nas universidades para a população. É uma devolutiva dos estudantes para a sociedade. Segundo Fernanda, “o Bio na Rua é muito importante por estar atrelado à SIMAB e vincular a questão do meio ambiente com a biologia, trazendo temas tão diversos”. Isso facilita o acesso das pessoas a esse tipo de informação.

Todos os anos a SIMAB ocorre na primeira semana de Junho. Este ano já acabou mas em 2010 tem mais.

Edição: Giovana Fotopoulos, Giovana Moraes e Anna Paola
Repórteres: Ana Nóbrega, Maria Eduarda Vieira, Giovana Moraes, Receba Almeida, Rafaela Fernanda, Mariana David, Rafael de Almeida, Fernanda Fernandes, Eduardo Moreira e Gabriel Delgado




0 comentários:

Postar um comentário