Sustentabilidade na Fórmula SAE

Projeto da UNESP Bauru busca inserir o pensamento sustentável na criação de carro mais econômico



Carro da equipe FEB Racing que participou da competição de 2018. Fonte: Acervo FEB Racing

O conceito de sustentabilidade pode ser aplicado de diversas maneiras e em uma infinidade de campos. Um exemplo disso é na área de engenharia, mais especificamente na busca pelo aumento da eficiência energética nos carros de competição.

O FEB Racing, projeto de extensão da Faculdade de Engenharia de Bauru, fundado em 2012 e desenvolvido por estudantes da UNESP, tem como objetivo principal construir um carro de Fórmula SAE (Society of Automotive Engineers) levando em conta essa melhora na eficiência do automóvel.
A Fórmula SAE Brasil é uma competição criada em 2004, com três dias de duração, que busca avaliar os carros desenvolvidos pelas equipes inscritas. Durante o evento ocorrem provas estáticas e dinâmicas que buscam analisar o desempenho do carro de cada equipe.
Essa competição promove a aplicação dos conhecimentos aprendidos durante a graduação dos alunos. Em 2017, o projeto ficou em primeiro lugar na prova de eficiência energética FSAE Brasil. Conversamos com atual capitão do projeto Gabriel Canato Vizioli para entender melhor a respeito da produção de um carro mais econômico e sustentável

Prêmio de 1° Lugar na Prova de Eficiência Energética FSAE Brasil 2017. Fonte: Acervo FEB Racing
Quando questionado sobre a importância de realizar ações sustentáveis nesse setor, Gabriel afirma que há um compromisso com a sociedade, assim como o meio ambiente, e por isso, é importante divulgar e incentivar práticas sustentáveis na área, pois isso gera benefícios ao planeta.
Para ele, a Fórmula SAE estimula os alunos a pensarem de forma sustentável, pois “além de ter uma prova que vale 15% da pontuação máxima possível da competição focada para Eficiência Energética, a SAE também valoriza a economia atribuindo pontuações maiores de projeto para carros mais econômicos e possui uma a categoria para carros 100% elétricos”.
Conversamos também com Arthur Sabbag, antigo membro da equipe, que ressaltou a importância de ações sustentáveis para que os membros adquiram experiência no assunto, visto que irão lidar com o tema no mercado de trabalho. Outro objetivo é melhorar nesse aspecto a cada ano, não só na questão da economia de combustível, mas também no descarte correto dos materiais utilizados na construção do carro, como óleo, resina, entre outros resíduos.
Para Gabriel, atual capitão do projeto, o carro que planejaram e que foi o vencedor do prêmio em 2017 buscava ser eficiente em vários sentidos: um projeto barato, com motor de baixa cilindrada, e com um desempenho condizente com seu custo.
Segundo ele, o motor usado foi o Honda CB300f com restritor de 20mm na entrada da admissão imposto por regulamento, que permite uma entrada menor de ar no motor. Isso exigiu que este fosse calibrado com 20% a menos de fluxo de combustível que a moto original, o que foi feito visando o correto funcionamento e desempenho do motor.
Ele acrescenta que o prêmio de eficiência energética foi uma consequência de todos esses fatores, uma vez que o prêmio também leva em consideração o tempo de volta médio dos carros, além do consumo de combustível.
Competição Fórmula SAE 2018. Fonte: Acervo FEB Racing.




Relacionados:
Biocombustíveis
Reciclagem de pneus

Edição: Rafaela Thimoteo.

0 comentários:

Postar um comentário