Ato pelo cerrado acontece em Bauru

A intervenção na Câmara Municipal de Bauru cobrou ações do poder público sobre as queimadas na cidade


Membros do Comitê na Câmara Municipal de Bauru, no dia 30 de outubro. Foto: Rebeca Almeida/Impacto Ambiental



O Comitê Bauru pelo Clima e o Núcleo Ecossocialista de Bauru, realizaram no dia 29 de outubro um ato pelo cerrado na Câmara Municipal de Bauru. O ato foi motivado pela queimada que atingiu parte da reserva ambiental do Jardim Botânico nos dias 5 e 6 de outubro. A área queimada foi equivalente a 100 campos de futebol de mata nativa.

Cerca de 15 pessoas adentraram a Câmara Municipal com cartazes com frases de protesto, como “não é fogo, é capitalismo” e “⅓ do cerrado incendiado. Queremos respostas!”.

No centro, Fabiana Silva, do Comitê, conversa com a vereadora Telma Gobbi. Foto: Rebeca Almeida/ Impacto Ambiental


A principal queixa é uma resposta rápida e urgente do poder público. Numa tentativa de cobrá-la, Fabiana Silva, co-fundadora do Comitê apresentou as demandas da Carta de Repúdio aos incêndios, feita pelo Núcleo Ecossocialista do Psol - Bauru. A vereadora Telma Gobbi (Solidariedade), que afirmou que tudo deve ser encaminhado ao Secretário do Meio Ambiente, e não à Câmara de vereadores.

Membros debatem próxima ações. Foto: Rebeca Almeida/Impacto Ambiental


Depois do ato, os membros se reuniram em frente à Câmara para discutir quais serão as demandas e ações na cidade. A carta de repúdio aos incêndios pode ser conferida aqui: abre.ai/carta_de_repudio

As próximas ações realizadas serão divulgadas pela página do Comitê: https://www.facebook.com/baurupeloclima/

E você, o que acha disso tudo?

Edição: Rebeca Almeida



0 comentários:

Postar um comentário