• Bruno Azevedo

A variedade do ecoturismo brasileiro

Conheça os tipos de ecoturismo espalhados pelo país


Arte: Bruno Mael

Por Bruno Azevedo


Sendo o 5º maior país do mundo todo, o Brasil tem uma diversidade incrível nas suas paisagens. Entre seus 26 estados, a variedade de destinos atrai turistas do mundo inteiro. O mercado de turismo brasileiro cresce constantemente, mas dentre todas as categorias, o ecoturismo tem tido a maior taxa de crescimento nesses últimos tempos.


As opções de viagem são várias, desde atividades mais relaxantes como trilhas e balonismo, até as mais radicais como rafting e rapel. Segundo Gisele Leal, formada em gestão de turismo, parte do aumento na procura por esse tipo de passeio se deve ao tempo pandemia. Depois de tanto tempo em casa, várias pessoas parecem ter sentido uma necessidade de entrar em contato com a natureza.


Balonismo e trilha são atividades para quem tem interesse em contemplar a natureza, seja adentrando a mata ou viajando num balão de ar quente. São várias as cidades no interior de São Paulo que oferecem esses passeios. Para aqueles que são um pouco mais aventureiros, o mergulho dá a opção de explorar a vida debaixo d'água no litoral. Mas se o litoral for muito longe, a tirolesa é muito presente no interior e também proporciona aquele frio na barriga.


Mas para quem prefere uma dose ainda maior de adrenalina, o interior paulista tem diversos tipos de esportes radicais. No rafting é possível descer correntezas num barco a remo, sozinho ou em grupo. O rapel surgiu de práticas de alpinismo, e consiste em escalar uma superfície vertical com auxílio de cordas e com todos os equipamentos de segurança necessários.


E por fim, o bungee jump é provavelmente o mais ousado dentre estes. Ele consiste em pular de uma altura elevada com um elástico amarrado às pernas ou ao calcanhar, e todas essas atividades, além de várias outras, podem ser praticadas em diversas cidades ao redor do Brasil.


Foto: Pixabay

E da mesma forma que a procura por esses serviços aumentou, o cuidado com os ambientes que recebem turistas aumentou também. Seja qual for a atividade, o contato do ser humano com a flora e fauna de um ecossistema sempre deixa uma marca. E por mais que o impacto venha dos turistas, que muitas vezes deixam para trás seu lixo ou decidem fazer fogueiras na mata por diversão. A organização que oferece os serviços deve sempre tomar medidas para garantir o bem estar do ambiente.


Esses cuidados incluem assegurar que não ocorra a descaracterização da paisagem e minimizar ao máximo a poluição tanto do solo como da água, por exemplo. Além disso, o impacto que os turistas têm na vida silvestre deve ser sempre monitorado, para que os comportamentos alimentares e reprodutivos dos animais não sejam alterados de forma excessiva.


Para Gisele, pós-graduada na área ambiental, as empresas de ecoturismo são também uma via para educar as pessoas, já que a educação ambiental não é tão presente quanto deveria nas escolas. O mais importante é que a natureza seja tratada com respeito e, no fim, boa parte do impacto do turismo poderia ser reduzido se todo turista tivesse essa consciência.


Edição: Maria Eduarda Vieira


15 visualizações