• Fulano

Bosque da Comunidade: um museu a céu aberto

Conheça o Bosque da Comunidade e celebre a preservação das nossas culturas e história 

A foto mostra o Bosque da Comunidade por dentro. No meio, tem uma passagem de asfalto e lá no fundo se vê uma pessoa caminhando. Tanto no lado direito quanto no esquerdo, se vê árvores e plantas verdes no chão. O sol está por trás das árvores.
Foto: Marcos Cardinalli

Por Autoria Desconhecida


Localizado na quadra 29 da rua Araújo Leite, próximo à maternidade Santa Isabel, o Bosque da Comunidade é um dos principais pontos turísticos da cidade de Bauru. O Bosque José Guedes de Azevedo foi inaugurado em 1979, e hoje, de acordo com a Lei Orgânica do município, é considerado patrimônio ecológico da cidade de Bauru, o que garantem a preservação permanente do local.


A área ambiental conta com cerca de 16 mil metros quadrados, com pistas de caminhada, playground para as crianças, banheiros e muita biodiversidade que somam vários espaços integrados de bem público e de áreas desocupadas, unidas para formar seu grande retângulo.


A foto mostra crianças brincando no parquinho. A cena mostra dois balanços coloridos feitos de pneus, crianças estão no balanço do lado esquerdo. Ao fundo se vê arbustos e uma roda, onde as crianças brincam de girar. O dia está ensolarado.
Foto: Marcos Cardinalli

Em maio de 1979, o prefeito bauruense Osvaldo Sbeguen plantou a primeira árvore no Bosque da Comunidade: uma figueira branca. A figueira branca é uma árvore nativa, usada em reflorestamentos de áreas degradadas, comuns na região de Mata Atlântica. Originalmente, a região de Bauru apresentava características transicionais entre a Mata Atlântica e o Cerrado. Atualmente, devido ao desmatamento, predomina a vegetação de cerrado.


A foto mostra uma árvore alta, com tronco grosso, e sua copa está bem lá no alto. Na base dela tem uma placa escrito: Preserve-me!
Foto: Marcos Cardinalli

A preservação cultural e histórica nos afetam diretamente. É quase impossível pensar em um mundo onde não se conhece o passado. Os rastros deixados por aqueles que vieram antes de nós são como “guias” para novas descobertas e geram conexões profundas com o mundo em que vivemos. Extremamente importante por abrigar árvores de espécies típicas da flora brasileira, o Bosque da Comunidade é considerado um “museu da biodiversidade”, preservando a natureza em suas diversas variações. Abriga também uma “Maria Fumaça”, doada pela prefeitura de Bauru em 1977.


A foto mostra uma Maria Fumaça. O trem é azul, preto e tem listras amarelas. Na sua frente tem uma estrela de cinco pontas pintadas de amarelo e verde. As rodas tem detalhes branco e vermelho.
Foto: Marcos Cardinalli

O Bosque da Comunidade está aberto aos visitantes de segunda à sexta, das 6h ate às 19h30. Nos fins de semana e feriados, a comunidade pode desfrutar do espaço das 7h às 18h30.

10 visualizações