• mevieira7

Guia de profissões: Biólogo

Conheça a profissão que estuda e cuida dos seres vivos

A foto mostra uma mulher olhando no microscópio algumas plantas. Ela usa jaleco branco e tem cabelo cacheado preso.
O trabalho do biólogo vai do controle de pragas à biologia forense. Foto: Jevtic/ reprodução

Por Elisa Dias Carneiro


Programas da National Geographic, documentários de animais exóticos e até mesmo os vídeos icônicos de Richard Rasmussen provavelmente já fizeram você se perguntar: a vida de um biólogo é sempre essa grande aventura?


A glamourização do biólogo de campo pode enganar muitas pessoas que pretendem cursar Ciências Biológicas, mas mesmo que toda essa adrenalina não seja tão comum, há dezenas de outros caminhos para quem ama o meio ambiente e os seres vivos.

O curso

Leonardo Dota Zonaro, atualmente pós-graduando de Educação em Ciências pela Unesp, já adianta que suas aulas foram majoritariamente teóricas, com indicações de leituras e preparações para provas.

“Tive sim aulas práticas, algumas melhores do que outras, mas não acontece tanto quanto gostaríamos, principalmente por causa dos cortes de verbas sucessivos que a universidade vem sofrendo”, argumenta.

O tempo do curso geralmente varia de 4 a 5 anos dependendo da universidade, do período (diurno, integral ou noturno) e da escolha entre cursar bacharelado, licenciatura ou os dois. Vale lembrar também que o enfoque do curso pode variar, podendo ser mais voltado para biologia marinha, ecologia, biologia genética etc.


A foto mostra mostrando um painel solar para crianças.
O que aprendemos na escola é só a pontinha do iceberg. Foto: Teddy/Rawpixel

Outra informação a ser levada em consideração: sim, tem matemática e estatística na grade curricular do curso. Se você pretende cursar Ciências Biológicas para fugir dos cálculos, pode estar indo na direção errada.


Diego Dias, graduando em Licenciatura e mestrando de Biociências pela Unesp, complementa

“O que mais choca as pessoas que ingressam no curso de Biologia é a quantidade de disciplinas que, na maioria das vezes, não agradam a todos, seja pela falta de afinidade ou dificuldade. Porém, são conhecimentos que acabam agregando em todos os âmbitos no fim das contas”.

Onde estudar

De acordo com o Ranking Universitário Folha (RUF) de 2019, as melhores faculdades para cursar Biologia são:


Universidade de São Paulo (USP)


Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)


Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)


Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)


Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP)


Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR)


Universidade de Brasília (UnB)


Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)


Universidade Federal da Bahia (UFBA)


Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)


Lembre-se de pesquisar o enfoque do curso em cada universidade!

Áreas de atuação

Em um âmbito mais generalizado, as áreas de atuação podem ser divididas em: dar aulas na rede pública ou particular, trabalhar efetivamente como biólogo (autônomo ou para uma empresa) ou seguir na área de pesquisa.


Para trabalhar como professor, é necessário fazer uma Licenciatura e aproveitar bem os estágios. Já para atuar como biólogo, é preciso concluir o bacharelado e pagar uma taxa para fazer parte do Conselho Regional de Biologia (CRBio) de sua região.


A foto mostra um homem com a boca aberta falando e ao lado se lê: Fotossíntese fase escura.
Hoje, o Youtube é uma preciosa ferramenta de ensino e entretenimento para todas as áreas, incluindo Ciências Biológicas. Foto: Reprodução

De acordo com os CRBios, existem mais de 80 tipos diferentes de atuação profissional separadas em Meio Ambiente e Biodiversidade; Saúde; Biotecnologia e Produção. “Acredito que a Biologia é um curso muito atrativo por ter esse amplo leque de opções profissionais”, conclui Dias.

Mercado de trabalho

O trabalho do biólogo no Brasil não é fácil, principalmente quando se trata de questões ligadas ao meio ambiente ou à educação, pois as políticas governamentais atualmente desvalorizam essas áreas de atuação. Segundo Leonardo Zonaro, “as áreas mais promissoras são as relacionadas à saúde. Ganha-se bem e é um setor que tem relativa estabilidade.”


Diego Dias possui um olhar diferente:

“Uma área bem interessante e pouco divulgada é a do empreendedorismo, e eu acredito que muitos profissionais estão buscando inovar e se reinventar. A profissão também é apta para a área empresarial, seja por consultoria ou pelo negócio próprio envolvendo questões biológicas.”

É importante entender que a profissão de cientista não é regulamentada no Brasil e o termo “pesquisador” é utilizado somente em casos de vínculo com programas de pós-graduação de ensino superior, como mestrado ou doutorado. Entretanto, há luz no fim do túnel: “Esta é uma das áreas mais difíceis de seguir, pois há cada vez menos investimento em pesquisa no Brasil. Porém, existem oportunidades muito interessantes fora do país”, explica Zonaro.


De acordo com Fabiano Soares, criador do Biólogo Zero, as tendências de mercado atualmente são:

  • Biotecnologia Ambiental

  • Eficiência energética

  • Beleza natural

  • Transformação verde

  • Orgânicos e locais

  • Arborização urbana

  • Cidades Inteligentes

Todas essas possibilidades fazem das Ciências Biológicas um curso a ser considerado pelos amantes dos seres vivos. É claro, nem tudo são flores como vemos na televisão, mas há beleza e muito potencial nessa profissão. Dias não tem dúvidas disso: “é uma profissão linda, que confere uma paixão incrível pelo estudo e pelo trabalho na área. Apesar de toda a desvalorização, nós acreditamos na vida, na educação e na ciência como ferramenta para transformar o mundo”.

Edição: Anna Araia Revisão: Anna Araia e Leonardo Scramin

50 visualizações