• Laís David de Souza

Impacto nas Eleições 2020 – Sérgio Alba e Renata Ribeiro

Conheça as propostas ambientais dos candidatos a prefeito


A imagem mostra o candidato Sérgio Alba do Solidariedade à esquerda e à direita está a candidata Renata Ribeiro do PSOL. Alba é caucasiano, está sorrindo, possui cabelo castanho com entradas brancas e tem olhos castanhos. Ele veste uma camisa azul clara xadrez. Renata é caucasiana, tem cabelos longos castanhos ondulados e com franja na testa, tem olhos também castanhos e está sorrindo. Ela veste uma camiseta amarela desenhado um solzinho e escrito PSOL 50.
O lema de campanha de Alba é "Muda Bauru" e Renata usa o lema "Nas ruas e nas lutas". Arte: Yasmin Mainine

Por Laís David de Souza


Bauru realiza as eleições municipais no dia 15 de novembro, nas quais os cidadãos escolherão o prefeito, chefe do Executivo, e os vereadores, que compõem o Legislativo. No ano de 2020, 14 candidatos concorrem à Prefeitura Municipal.


O Impacto Ambiental realiza, neste mês, uma série de reportagens sobre as propostas dos candidatos à Prefeitura, analisando, principalmente, as propostas ambientais dentro dos planos de governo disponíveis.


Nessa matéria, os candidatos analisados são Sérgio Alba, do Solidariedade e Renata Ribeiro, do PSOL.


Sérgio Alba


O partido Solidariedade escolheu Sérgio Alba como candidato à Prefeitura de Bauru. O agricultor de 52 anos trabalhou na chefia do gabinete da Câmara Municipal, foi assessor na Assembleia Legislativa de São Paulo (ALESP) e diretor do departamento da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMMA).


Na chapa, o contador Arthur Correia participa como vice-prefeito, sendo a geração de emprego destaque dentro da campanha. Tanto Arthur quanto Sérgio nunca foram candidatos anteriormente – entretanto, Alba trabalha com política desde 1996.


O plano de governo do candidato reserva um tópico para o meio ambiente, onde lista algumas medidas que, em sua visão, podem impactar positivamente a biodiversidade bauruense.


A imagem mostra Sérgio Alba sorrindo, ele veste uma camisa lisa lilás. Ele está em um fundo preto. As mãos estão no bolso.
Sérgio defende a criação de parques e reestruturação de rios. Foto: Facebook/Reprodução

  • Meio Ambiente


Alba defende uma extensiva campanha publicitária de arborização urbana como método de preservação dos biomas. “O meio ambiente, para minha campanha, é tudo, mas, ao mesmo tempo, as ações devem ser organizadas. A vida e o crescimento da cidade também não devem ser prejudicados”, explica o candidato.


Uma das medidas para o crescimento municipal é a construção do Parque do Castelo, que seria rebatizado em homenagem ao arquiteto e vereador bauruense Jurandir Bueno Filho. Bueno Filho foi quem projetou o Parque Vitória Régia e defendeu, em seu mandato, a criação de áreas verdes e de parques arborizados.


Dentre as alternativas de arborização, um dos tópicos inclui o chamamento público para preservação e plantio de áreas verdes, que é, em definição do Governo Federal, uma tática da administração pública de executar atividades de interesse público em parceria com a população, sem quaisquer fins lucrativos.


Sérgio Alba declarou que ambiciona a criação de mais parques e lagos na cidade, que, de acordo com o candidato, podem consistir em uma estratégia turística. 


“Bauru […] é muito quente – os lagos podem mudar a biodiversidade da cidade. E o Parque Jurandir Bueno Filho é um sonho meu. Não sei porque ainda não o realizaram. É um local muito bonito, e a cidade pode crescer com esse parque”, afirma Alba.

Ele também defende uma melhoria na coleta de lixo. Atualmente, o transbordo, local onde os resíduos são descarregados e levados, posteriormente, para aterros sanitários, de lixo é feito em outras cidades, e seu governo pretende trazer o processo para a cidade de Bauru.


“Temos, hoje, 10 a 12 caminhões de lixo. São pequenos, que carregam cerca de 6 toneladas. [A opção] seria fazer o transbordo do lixo para Bauru, o que baratearia o custo e ganharíamos muito tempo de coleta”, conclui Alba.


No Plano de Governo, a melhoria na coleta de lixo divide espaço com a criação de uma usina de reciclagem no aterro de Bauru. Desatendido pelo governo, o aterro, já desativado, polui as regiões próximas, pois há constante liberação de chorume. A possível revitalização do local poderia, segundo Alba, beneficiar o meio ambiente.


Renata Ribeiro

Renata Ribeiro é a candidata escolhida pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) para a Prefeitura de Bauru. A chapa tem como vice o jornalista e funcionário municipal Pedro Romualdo. Servidora pública, Renata trabalha cuidando de crianças com deficiência na cidade.


Aos 26 anos, é a candidata mais nova da história de Bauru. Começou a carreira política em 2017, filiando-se ao PSOL e ao coletivo feminista Juntas e, desde então luta publicamente pelo direito das minorias dentro do município.


O projeto da chapa, divulgado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) expõe 12 propostas, que integram desde a economia municipal à política cultural.


A imagem mostra Renata usando máscara e uma jaqueta jeans. Ela está de lado em frente a um microfone.
Renata é a candidata mais jovem a concorrer à prefeitura de Bauru Foto: Malavolta Jr/JCNet

  • Meio ambiente

O meio ambiente é um dos pilares da proposta de governo de Renata. O quarto eixo, nomeado “Ecossocialismo”, discute os principais problemas ambientais na cidade de Bauru, destacando o saneamento básico, racionamento de água e preservação do meio ambiente.


O plano nega a responsabilidade individual de proteção ambiental, e reforça a importância das ações municipais na preservação das matas e dos animais silvestres.


Renata defende a criação do Plano Municipal de Segurança Alimentar e Combate à Fome, que incentiva a agricultura familiar e destina parte do alimento produzido para família em situação de vulnerabilidade. 


Renata Ribeiro defende a implantação de hortas urbanas nos bairros de Bauru. Essas “hortas coletivas” produzem verduras e legumes que podem ser consumidos pela comunidade.

A chapa também visa a criação de composteiras públicas para reciclagem de resíduos orgânicos, promovendo a higiene e a educação ambiental para a população.


  • Biomas e Saneamento Básico


Um dos pontos mencionados no plano de governo de Renata é a defesa dos biomas locais. Bauru, por estar em uma área de transição, possui elementos do Cerrado e da Mata Atlântica, mas o desmatamento, o avanço das indústrias e a especulação imobiliária ameaçam a biodiversidade do município. Com medidas que pretendem impedir a especulação imobiliária de avançar sobre o Cerrado e a Mata Atlântica, Renata preza a manutenção da vegetação nativa.


Além disso, a candidata defende a criação de mais ecopontos no município, ou seja, locais de descarte e coleta seletiva de lixo. A iniciativa contribui com a reciclagem de resíduos sólidos – a cidade já possui oito pontos de coleta.


Se eleita, pretende promover um plano de ação de defesa dos rios Bauru e Batalha, protegendo locais que abrigam fontes e nascentes.


Por meio do Plano Diretor de Águas, a candidata procura melhorar o saneamento básico de Bauru. A crise de água e esgoto da cidade é justificável: apenas 1,77% do esgoto bauruense é tratado, segundo o Instituto Trata Brasil.


Fique atento na cobertura das eleições municipais feita pelo Impacto Ambiental!

Relacionados Impacto nas Eleições – Clodoaldo Gazzetta e Vagner Crusco

Impacto nas Eleições – Nelson Fio e Luiz Carlos Valle


Edição: Maria Eduarda Vieira

Revisão: Anna Araia, João Mateus Macruz e Maria Eduarda Vieira

9 visualizações